Aero Latam Brasil

Operação Dínamo – a aviação geral brasileira na guerra contra o COVID-19

 

Por João Paulo Moralez

 

A Associação Brasileira de Empresas de Táxi Aéreo, Regional e de Manutenção (ABTAER), concebeu a Operação Dínamo Brasil, para garantir apoio técnico às empresas de táxi-aéreo que neste momento de crise foram autorizadas pela Agência Nacional de Aviação Civil a realizar o transporte de cargas, pessoal médico e pacientes no âmbito do combate à COVID-19.

Ao todo, 42 companhias de táxi-aéreo somaram as suas frotas para ajudar os governos municipais, estaduais e federal a transportar suprimentos e materiais para prevenção e tratamento da doença.

São 138 aviões e 21 helicópteros de pequeno porte, que pelas suas características, podem chegar em regiões isoladas com pouca infraestrutura aeroportuária.

As empresas também vão participar dos planos de contingência para o abastecimento geral de localidades ante às restrições estaduais de movimentação. Existe ainda a viabilidade de transporte rápido de enfermos de lugares remotos para os grandes centros.

 

 

A operação está subdividida regionalmente e, inicialmente, em 15 bases de apoio, e ainda poderão ser ativadas outras bases, conforme necessidades. Um centro de controle da ABTAER instalado em Brasília receberá as demandas do Ministério da Saúde e acionará a aeronave mais próxima a realizar a carga.

A ABTAER está realizando a assessoria técnica para as empresas e pilotos sobre fatores como transporte de cargas perigosas, condições de pistas de pouso pouco conhecidas, procedimentos gerais de segurança, fadiga dos pilotos em jornadas incomuns e outros fatores que podem não fazer parte do dia-a-dia do táxi-aéreo.

A associação também está emitindo alertas de segurança quanto aos procedimentos adequados para desinfecção das aeronaves; segurança de voo nas proximidades dos aeroportos que, por estarem com as atividades suspensas, favorece o aumento da circulação de aves; dentre outras ações.

O nome da Operação foi inspirado na ação empreendida pelas forças aliadas em 1940, durante a 2ª Guerra Mundial, quando pequenas embarcações resgataram milhares de soldados em Dunquerque, na França. Hoje, aeronaves civis de menor porte podem igualmente defender o Brasil da ameaça do coronavírus.