Aero Latam Ecuador

Crescimento aeronáutico no Equador

 

Nos últimos três anos, o país teve um grande aumento de rotas internas por meio de empresas internacionais e nacionais.

 

Por Florencia Lucero Heguy

 

A República do Equador é um país pequeno, embora com grande potencial para o mercado interno de voos. Há cerca de três anos o país começou a abrir novas rotas com a sua companhia aérea de bandeira, onde as cidades do país equatoriano estão melhor conectadas. Cabe ressaltar a chegada de duas novas companhias aéreas para competir em um mercado dominado pela Latam Airlines Ecuador.

Em 2017 o mercado entrou em recuperação e, no ano seguinte, as empresas tiveram lucros quando o volume de passageiros aumentou consideravelmente.

Como consequência, em 2019 foi o melhor em termos de mercado doméstico, alcançando um aumento de passageiros nos aeroportos de Quito, Guayaquil e Cuenca.

O mercado foi fortalecido com a entrada da Aerorregional com voos para Quito, Cuenca, Guayaquil, Coca, Santa Rosa e Loja. Por outro lado, a entrada de companhias aéreas internacionais como a Latam, com a nova rota para Manta, Coca e Santa Rosa, e da Avianca, que também reforçou sua presença no mercado local, ajudou a satisfazer as necessidades desse país por rotas internas. É importante destacar que, em Santa Rosa, o potencial econômico é menor, mas há relevância social para o atual governo, pois favorece a parte turística, econômica e cultural da província. Mesmo assim, os quatorze municípios de El Oro devem aprimorar seu turismo, ser mais atraentes para gerar um incentivo para os turistas viajarem e usarem o aeroporto.

As duas companhias aéreas de origem equatoriana Aeroregional e EC Plus Airline foram um ponto de partida para a expansão do mercado doméstico. A primeira, que fazia apenas voos fretados, começou a competir no mercado doméstico nas rotas Cuenca-Quito-Guayaquil e Quito-Santa Rosa. Por sua vez, a EC Plus Airline, foi fundada em fevereiro de 2019 e tem sua base de operações no Aeroporto Internacional Eloy Alfaro, correspondente à cidade de Manta. A empresa tem a permissão das autoridades para operar rotas nacionais e internacionais e pretende cobrir as rotas Manta-Quito-Manta, Quito-Guayaquil-Quito e Quito-Cuenca-Quito.

A companhia solicitou ao Conselho Nacional de Aviação que incorporasse em sua licença de operação atual os novos equipamentos com os quais pretende começar a operar, por meio da contratação de leasing já aprovado em janeiro de 2020 pela autoridade competente.

O objetivo é fazer o transporte de passageiros com itinerários e horários estabelecidos e realizar atividades de fretamento.

Com a política de céu aberto e os incentivos oferecidos por cada aeroporto, não está descartado que mais linhas continuem sendo adicionadas. Os fatores de crescimento no mercado aéreo equatoriano devem-se à recuperação econômica do país, confiança para investir, novos incentivos para companhias aéreas nos aeroportos e uma estratégia de atração de companhias aéreas por aeroportos e autoridades.

Além desse crescimento que o Equador teve nos últimos anos, ainda é necessário aumentar a concorrência nos voos internos, principalmente para diminuir o custo dos bilhetes.