Aero Latam Brasil

Brasil acredita na aviação regional para retomada do setor aéreo

 

Por João Paulo Moralez

 

A retomada do setor aéreo brasileiro vai exigir muitos esforços do governo e das companhias. Conquistar a confiança dos passageiros em relação a segurança do voo em época do coronavirus, ampliar os investimentos em infraestrutura, melhorar o arcabouço legal e facilitar determinados processos são alguns dos pontos a serem trabalhados.

A aviação regional também será fundamental para estimular as viagens e melhorar a conectividade entre pequenas e médias cidades para grandes centros urbanos.

Um exemplo claro é cidade de Santa Maria, no Rio Grande do Sul, cuja estrutura aeroportuária atende voos regulares e não-regulares.

Antes da pandemia, a Azul Linhas Aéreas mantinha um voo diário ligando a pequena cidade de 280 mil habitantes até Porto Alegre, capital do estado do Rio Grande do Sul, num voo de 50 minutos de duração.

Em 2019, a média era de 17 voos por mês no aeroporto, sendo que somente em maio de 2020 foram registrados 43 voos da aviação geral para atender a transporte de valores, de enfermos e táxi aéreo em geral.

O Ministério da Infraestrutura decidiu manter as obras de melhorias e modernizações em vários aeroportos do País, como forma de impulsionar o setor conforme este retomar gradativamente a sua atividade.

 

 

No primeiro semestre de 2020, a INFRAERO, empresa estatal que faz a administração de diversos aeroportos no Brasil, entregou seis obras nas cidades de Uberaba, Foz do Iguaçu, Navegantes, Campo Grande, Goiânia e Joinville.

“Mesmo com a pandemia do coronavírus, a Infraero tem mantido o cronograma de execução das obras em diversos aeroportos da rede. Além disso, aproveitamos o período de baixa movimentação em nossos aeroportos para acelerarmos a realização e a entrega dessas obras que já estavam previstas”, afirmou Brigadeiro Paes de Barros.

Em Uberaba (MG), a pista e o pátio de aeronaves foram revitalizados, enquanto o aeroporto internacional de Foz do Iguaçu-Cataratas (PR) recebeu ampliação e reforma do seu terminal de passageiros.

Em Navegantes (SC), foi inaugurada uma nova sala de embarque; em Campo Grande (MS) foram feitas melhorias gerais e, no aeroporto de Santa Genoveva (GO), reforma no pátio de estacionamento de aeronaves e taxiways. Por fim, em Joinville (SC), foi feita a recuperação do pavimento e revitalização da sinalização horizontal da pista.

“Nossa agenda não pode parar. Enquanto parte da equipe atua na garantia da logística e funcionamento de aeroportos, rodovias, portos e ferrovias, outra parte segue na estruturação de nossos projetos, atividade ordinária do ministério. Todos continuam trabalhando para garantir a retomada que o Brasil precisa”, aponta o ministro da Infraestrutura, Tarcísio Gomes de Freitas.

Ainda para 2020, a expectativa é que outros aeroportos passem por reformas e melhorias. Em Congonhas, (SP), é prevista a recuperação da pista, do pátio de aeronaves e a reforma na fachada do terminal de passageiros.

Em Foz do Iguaçu, a ampliação do pátio de aeronaves e da pista de táxi e a duplicação do acesso ao terminal de passageiros. Em Manaus (AM), será feita a implantação da sinalização vertical na área de movimentação de aeronaves, enquanto no aeroporto de Santarém (PA) a reconstrução das cabeceiras da pista de pouso e decolagem. Enfim, em Navegantes, será feita a reforma e a ampliação do terminal de passageiros e edificações complementares. Assim, aeroportos em quase todas as regiões do Brasil sofrerão melhorias para melhorar as operações aéreas e a qualidade e atendimento aos passageiros.