Aero Latam Brasil

Acordos e aquisições marcam o setor de transporte aéreo regional no Brasil

Parcerias permitem melhor conectividade entre localidades mais afastadas e com menos habitantes para importantes centros urbanos e hubs no País.

Por João Paulo Moralez

O mês de agosto de 2019 foi marcado por importantes conquistas que envolvem as companhias aéreas regionais brasileiuras. Depois de a Gol Linhas Aéreas anunciar parceria com a Two-Flex para ampliar os voos para pequenas localidades, neste caso operando com os turboélices monomotores Cessna Gran Caravan nas regiões sul e norte, agora foi a vez de a Azul Linhas Aéreas estabelecer um acordo com a Asta.

A regional com sede em Cuiabá e que atende exclusivamente a destinos no estado do Mato Grosso voando os Cessna Gran Caravan, passa a ser uma feeder levando os passageiros do principal hub em Cuiabá para localidades mais afastadas.

A expectativa da Asta é de incrementar a demanda em 30% com a parceria, principalmente por conta da extensão da malha da Azul e da imediata conexão com os voos da companhia em Cuiabá. Outra novidade é que a Asta vai receber em breve mais dois Cessna Grand Caravan 208B, além de um turboélice bimotor Twin Otter no primeiro semestre de 2020.

Por outro lado, a Passaredo Transportes Aéreos adquiriu 100% do capital acionário da MAP Linhas Aéreas, empresa com sede em Manaus, no Estado do Amazonas, operando uma frota de aeronaves ATR 42-300 e ATR 72-200. A Passaredo passa a se chamar VoePass e também possui uma frota centralizada nos ATR72-500.

O objetivo da compra foi o de expandir a sua atuação para a região norte do país. Além disso, a companhia absorveu os 12 slots da MAP no aeroporto de Congonhas e que antes pertenciam a extinta Avianca Brasil. A expectativa e que as novas rotas sejam anunciadas para o interior a partir de Congonhas. Assim, somando com os seus atuais 14 slots, também advindos da Avianca Brasil, a operação da VoePass numa das rotas mais lucrativas do país chega a 26 slots no total.

Por fim, para 2020 a Passaredo possui planos para adquirir aeronaves a jato de até 150 assentos para operar no aeroporto de Congonhas.