Aero Latam Brasil

A Força Aérea Brasileira no combate ao COVID-19

Uma operação permanente foi ativada, mobilizando a FAB e a sua aviação de transporte no combate ao Coronavirus. Conheça os detalhes.

 

Por João Paulo Moralez

 

A aviação de transporte da Força Aérea Brasileira (FAB) está mobilizada para apoiar as ações governamentais no combate ao Coronavirus. As missões incluem desde o resgate de brasileiros que estão no exterior até o transporte de médicos, pacientes, insumos e equipamentos para hospitais.

Das aeronaves monomotoras C-98 Caravan até o Embraer C-390, incluindo aviões que normalmente são usados para fazer o transporte de autoridades, estão tomando parte nas atividades aéreas dessa grande operação, que não tem prazo para ser encerrada.

Para coordenar as atividades da Operação Covid-19, em 20 de março foi ativado o Centro de Operações Conjuntas (COC), no Ministério da Defesa, em Brasília (DF), além de dez Comandos Conjuntos, distribuídos pelo território nacional, e com a participação do Comando de Operações Aeroespaciais (COMAE) da FAB. Mais de 28 mil militares das três Forças Armadas estão envolvidos na Operação.

Como forma de atender as missões de maneira mais eficiente, a FAB criou três hubs de operação. O primeiro na Ala 1, em Brasília e, os dois outros na Ala 11 no Galeão e na Ala 12 em Santa Cruz, no Rio de Janeiro.

Além dos aviões que já são usados pelos esquadrões de transporte sediados nessas localizadas, aeronaves de outras unidades aéreas foram deslocadas para esses hubs para reforçar a prontidão, sendo cinco C-95 Bandeirante, cinco C-98 Caravan e dois C-105 Amazonas. No total, 26 aviões estão mobilizados na operação.

O Grupo de Transporte Especial da FAB demonstrou a sua flexibilidade de emprego ao utilizar um VC-99C (ERJ-135), configurado para o transporte VIP de autoridades, para ter a capacidade de levar até quatro toneladas de carga.

 

 

Missões

As primeiras ações da FAB foram desencadeadas em 5 de fevereiro de 2020 quando dois VC-2 (E-190) voaram para Wuhan, na China, para trazer 34 brasileiros que estavam no epicentro da origem do COVID-19. Os aviões decolaram com 11 tripulantes e sete médicos capacitados para realizar missões de Defesa Química, Biológica, Radiológica e Nuclear (DQBRN). De Brasília a aeronave fez escalas em Fortaleza, Las Palmas (Espanha), Varsóvia (Polônia), Ürümqi (China) e Wuhan.

Em 24 de março, dois C-130 Hercules resgataram 100 brasileiros que estavam em Cuzco, no Peru, impedidos de retornarem ao país.

Mais de 100 toneladas de cargas foram transportadas, incluindo álcool em gel, 95 respiradores, máscaras e face shield, impressoras 3D, vacinas de H1N1, viaturas, ambulâncias, testes rápidos sars-cov2, cilindros de oxigênio, macas e camas de UTI, medicamentos, equipes médicas, pacientes entre outros. Os voos acontecem nas 24 horas do dia.

 

 

KC-390

A novidade nesta grande operação é o envolvimento dos novos Embraer KC-390 nas ações de transporte logístico.

A partir de setembro 2019 duas aeronaves foram recebidas pelo 1º Grupo de Transporte de Tropas “Esquadrão Zeus”, na Ala 2 em Anápolis. Desde então, a Embraer está realizando o treinamento e a formação dos tripulantes e mecânicos do Esquadrão, que em março completaram a fase básica que contempla voos locais. A fase seguinte é a de treinamento em rotas de média e longa distância, com as tripulações fazendo o embarque e desembarque de cargas.

Essa etapa do treinamento deve ser concluída em junho e, aproveitando essas missões de instrução, a FAB decidiu empregar os KC-390 fazendo o transporte de equipamentos e materiais no âmbito da Operação COVID-19.